CENTRAL DE ATENDIMENTO - (91) 4008-8500

 
O Ecocardiograma Fetal é um exame de ultrassom que permite a avaliação da anatomia e da fisiologia do coração do feto, assim como do ritmo cardíaco, sendo realizado entre 18 e 32 semanas de idade gestacional, mas a melhor época é por volta de 28 semanas. A gestante não precisa de nenhuma preparação específica para o ecocardiograma fetal. Mas é conveniente que a paciente leve todos os exames que fez para o ecocardiografista fetal examinar, principalmente o ultrassom morfológico. Dos bebês com alteração congênita do coração, apenas 10% tem algum fator de risco. Por isso, alguns grupos médicos preconizam a realização do exame como rotina, principalmente nas gestações consideradas de alto risco.
 
A importância da Ecocardiografia ainda no pré-natal 
 
Na CSD, o diagnóstico da Ecocardiografia, complementa a avaliação do ultrassom morfológico, realizado pela médica pediátrica especialista, Dra. Kellen Freitas S. de Almeida, vinda diretamente do Fleury, referência em exames do coração. Esse procedimento também possibilita o planejamento do parto para receber e tratar devidamente o recém-nascido que apresenta doenças cardíacas congênitas, como a transposição das grandes artérias e a hipoplasia do VE ou do VD.  Essas doenças requerem correção cirúrgica imediatamente após o nascimento. O ecocardiograma fetal diagnostica e acompanha a resposta do feto ao tratamento, sendo ferramenta importantíssima no pré-natal das gestantes.
 
 
Principais indicações para a Ecocardiografia
 
As principais indicações do ecocardiograma fetal incluem suspeita de malformação cardíaca ao ultrassom obstétrico, história de filho anterior com cardiopatia congênita ou história familiar de cardiopatia congênita, conceptos com malformações extracardíacas, fetos com alto risco de apresentar síndromes cromossômicas (como idade materna acima de 35 anos e translucência nucal aumentada no primeiro trimestre), presença de doenças maternas como diabetes, lúpus eritematoso sistêmico, uso de medicações potencialmente teratogênicas pela gestante (lítio, álcool, anticonvulsivantes e contraceptivos orais), além de indometacina, aspirina, anti-inflamatórios e outros medicamentos que agem no metabolismo das prostaglandinas, infecções virais ou parasitárias maternas (rubéola, citomegalovírus e toxoplasmose), alterações do ritmo cardíaco fetal, história de perdas fetais anteriores, retardo do crescimento intrauterino e hidropisia fetal não imune. 
 
O diagnóstico precoce pode salvar vidas
 
O ecocardiograma fetal é um exame sem risco para a gestante e para o feto, trazendo os benefícios de um diagnóstico precoce e do tratamento eficaz, pois algumas doenças cardíacas requerem correção cirúrgica imediata, logo após o nascimento. Além disso, certos tipos de arritmias já podem ser tratadas dentro do útero da mãe.
 
Drª Kellen Freitas S. de Almeida
CREMESP 118231 - CRM-PA 7386
 
Médica Cardiologista, especialista em Ecocardiografia fetal e Pediátrica, vinda diretamente do Fleury de São Paulo para a CSD - Clínica Som Diagnósticos.
 
 

 

Neurologie